web dia.autor.portuguesCelebra-se hoje, 22 de maio, o Dia do Autor Português. Para marcar a data, conversámos com alguns alunos da Escola Portuguesa de Moçambique-Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP) sobre a arte da escrita em Portugal.

Luísa Jeque, da turma “B” do oitavo ano, revelou ser fã incondicional da poetisa portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen, segundo ela por nos levar a uma realidade tão próxima. “Gosto do tipo de livro que a autora escreve e o assunto é interessante”, declarou.

Sophia de Mello Breyner foi uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX, sendo a primeira mulher a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999.

web aluna.depoimento1 mai18 web aluna.depoimento2 mai18 web aluna.depoimento3 mai18
Por sua vez, Mélica Chemane, igualmente do “8.ºB”, encontra no escritor moçambicano, nascido em Portugal, Paulo Borges Coelho, um contador de histórias quotidianas. Para ela, Borges “fala do dia-a-dia dos povos”.

Hoje, no Pátio das Laranjeiras, onde os alunos estavam no tempo de recreio, outras vozes falaram para além dos nomes dos seus ídolos, mas também das obras e das histórias. Hermínia Infante, do “12.°A1”, focou-se no enredo que marca a saída do livro “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, do escritor José Saramago. Dezasseis anos a viver no Brasil, onde era militar, o personagem Ricardo Reis retornou a Lisboa onde se instalou a testemunhar um ano trágico, a sua própria morte.

A avaliar pela história, real e cheia de emoção, Hermínia considera “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, publicado em 1984, um clássico, como são também as outras obras do autor. “É um livro fantástico, quero muito descortiná-lo pois ainda estamos a estudá-lo”, finalizou.

O Dia do Autor Português foi instituído em 1982 pela Sociedade Portuguesa de Autores que, nesta data, celebra o aniversário da sua fundação, ocorrida em 1925.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo