A curiosidade foi a principal “personagem” da sessão literária que levou à Biblioteca Escolar José Craveirinha muitos alunos, de vários anos de escolaridade, e professores. Todos quiseram saber como o autor do romance “O Olho de Hertzog”, com o qual João Paulo Borges Coelho venceu, recentemente, a segunda edição do Prémio Leya, escreve as suas obras, quais as rotinas e hábitos de produção, em que momentos do dia escreve, quais as fontes de inspiração e outras curiosidades associadas ao acto da escrita. A todos Borges Coelho respondeu com simplicidade e ausência de mistérios insondáveis. Nesta tarefa foi auxiliado por António Cabrita, igualmente escritor e coordenador editorial da Colecção Acácia.

A iniciativa, integrada na terceira edição da Feira do Livro da EPM-CELP, constituiu também estímulo à leitura e à produção de textos inéditos, conforme convite expresso dirigido directamente aos alunos por António Cabrita. Na realidade, tanto Borges Coelho como António Cabrita referiram, várias vezes, a relação directa entre a leitura e a produção de textos inéditos. Nesta medida, as experiências relatadas pelos dois escritores, baseadas na paixão pela escrita, serviram de esclarecimento e, espera-se, de encorajamento a um maior envolvimento dos alunos com a leitura e a escrita de textos.

No final da sessão, Borges Coelho acedeu ainda a autografar algumas obras da sua autoria a pedido de vários presentes.

web_borgescoelho1 web_borgescoelho2


Notícia relacionada
João Paulo Borges Coelho venceu segunda edição do Prémio Leya

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo