web semana.leitura 2018
O exercício “EPM aLer+”, a palestra “Saber ou não saber, eis a questão”, a visita da ministra da Educação e Desenvolvimento Humano de Moçambique e o lançamento do livro “O dia em que as palavras desapareceram” foram as atividades que mais marcaram a Semana da Leitura 2018 da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP), realizada de 5 a 9 de março sob o lema “Ler! Em qualquer hora! Em qualquer lugar!”

Tão simbólico quanto significativo, o já habitual exercício coletivo “EPM aLer+” abriu e encerrou a Semana da Leitura: todos os membros da comunidade escolar, independentemente do que estavam a fazer momentaneamente no dia, foram convidados a pararem para, durante cerca de meia hora, simplesmente lerem o que estivesse à mão, em formato analógico ou digital.

Na tarde de 6 de março, realizou-se no Auditório Carlos Paredes a palestra “Saber ou não saber, eis a questão!”, destinada aos alunos do terceiro ciclo e do ensino secundário e dinamizada no âmbito da parceria entre a Biblioteca Escolar José Craveirinha (BEJC) e o projeto “Mãos na Ciência”. A oradora foi Sónia Pereira, coordenadora daquele projeto, que abordou, entre outros temas, o reconhecimento da importância da literatura no desenvolvimento das capacidades cognitivas, sociais e emocionais, a literatura científica como alternativa à literatura narrativa e a promoção da literacia científica como ferramenta para a análise crítica da informação disponível. Grandes personalidades mundiais, de várias áreas, que foram leitores entusiastas durante a juventude, como Bill Gates e Elon Musk, foram referenciados como exemplos e exibidos 15 livros, relativos a áreas como engenharia, medicina, matemática, geometria, biologia, química e física, que fazem parte do acervo da BEJC e estão, por conseguinte, disponíveis aos alunos para leitura.

A formalização, pela ministra da Educação e Desenvolvimento Humano de Moçambique, Conceita Sortane, do protocolo de entendimento para renovação do acordo de cooperação entre os governos de Portugal e de Moçambique no domínio das bibliotecas escolares e promoção da leitura marcou particularmente o terceiro dia da Semana da Leitura, a iniciativa anual da BEJC.

O lançamento do primeiro livro da nova coleção da EPM-CELP “Mabuko Ya Hina”, intitulado “O dia em que as palavras desapareceram” ocorreu quase no fecho da Semana da Leitura. A obra deriva do trabalho realizado no âmbito de uma oficina de escrita, promovida pelo projeto “Mabuko Ya Hina”, e reflete o esforço criativo de escrita de seis alunos da Escola Primária Completa Polana Caniço A, Escola Primária Completa Matchick-Tchick e Escola Comunitária 4 de Outubro, orientado em 2014 por Estela Pinheiro, professora do Departamento de Línguas da EPM-CELP.

Após apresentação ao público dos alunos-autores da nova publicação, Estela Pinheiro esclareceu que a participação daqueles na referida oficina de escrita constituiu o prémio aos vencedores de um concurso literário realizado entre algumas escolas que integram o projeto “Mabuko Ya Hina”. “Ler e escrever vai ser sempre o grande espaço de liberdade que temos durante a vida inteira”, concluiu a docente dinamizadora da oficina de escrita, frisando que a história do novo livro é “a prova de que os sonhos se podem tornar realidade”.

Atividades variadas e criativas com muita interação

web semana.leitura fev18O programa geral da Semana da Leitura 2018 foi variado e criativo. Para além das atividades acima referidas, ao longo dos cinco dias multiplicaram-se iniciativas que colocaram no centro a palavra escrita e falada, cruzando textos e suscitando variadas formas de expressão e interpretações diversas, incluindo a dramatização. A interação quase constante entre todos os membros da comunidade escolar, incluindo os encarregados de educação, foi outra marca evidente da edição 2018 da nossa Semana da Leitura.

Na quarta-feira, por exemplo, o autor do livro “Encruzilhados”, Antero Ribeiro, esteve em conversa amena com alunos da turma C do 11.º ano, que o questionaram, sobretudo, sobre o processo de produção e edição de uma obra literária, matando a curiosidade aos mais entusiastas. Antero Ribeiro, em jeito de conclusão, afirmou a propósito que “ler é uma viagem ao imaginário que nos deixa mais fortalecidos quando chegamos à realidade”.

Por sua vez, os alunos da turma A1 do 11.º ano convidaram 30 alunos da Escola Comunitária Amizade Sem Fronteiras que, acompanhados por dois professores, vieram à nossa escola com o objetivo de desenvolverem atividades relacionadas com a ciência e a leitura. No final, os nossos alunos ofereceram livros destinados à biblioteca daquele estabelecimento de ensino moçambicano.

“Maria conta uma história” foi uma atividade dinamizada pela aluna Maria Canastro, da turma A1 do 11.º ano, que narrou aos meninos de uma turma do primeiro ciclo do ensino básico o conto “Os Bichinhos da Leitura”, após o que os alunos fizeram desenhos alusivos à história.

O penúltimo dia da Semana da Leitura terminou com a performance teatral “Cicatriz Encarnada”, levada a cabo pelo grupo Maderazinco Artes e Cultura, que integrou três alunas da EPM-CELP, orientado pelo autor e ator Rogério Manjate. As dramatizações ocorreram em três espaços distintos da nossa Escola em simultâneo. Ainda sob a direção de Rogério Manjate, três alunas do quinto ano do ensino básico dramatizaram a história “A Rebelião da Pontuação” em duas sessões distintas para duas turmas do quinto ano e uma outra do 11.º ano, no Auditório Carlos Paredes.

Lugar também para as atividades “O Livro Gigante das Nossas Histórias” e “Armadilhas da Floresta em 3D”, que consistiram na narração de histórias e posterior ilustração, destinadas aos alunos do ensino pré-escolar. A última atividade foi realizada com a colaboração de uma encarregada de educação que construiu os modelos dos animais, que os alunos pintaram, e o cenário em três dimensões.

Transversal a vários dias do Semana da Leitura foi a tradicional Feira do Livro, mas um dos “pratos fortes” da edição 2018 foi, uma vez mais, os concursos de leitura expressiva, soletração e de provérbios e adivinhas dirigidos especialmente aos alunos dos primeiro e segundo ciclos de escolaridade. As classificações foram as seguintes:

Leitura Expressiva: 4.º ANO – 1. Rita Reis (Turma E); 2. Kalyanee Virgílio (F); 3. Matilde Santos (B). 5.º ANO – 1. Francisco Monteiro (Turma B); 2. Maria Beatriz Venichand (D); 3. Tatiana Tem Jua (E). 6.º ANO – 1. André Rego (Turma D); 2. Rodrigo Garrido (C); 3. Ana Reis (F).

Concurso de Soletração: 2.º ANO – 1. Ricardo Silveira (Turma A); 2. Ali Khan Fateally (E); 3. Rafael Oliveira (D). 3.º ANO – 1. Tahila Madeira Correia (Turma A); 2. Ruben Ribeiro do Vale (D); 3. Afonso Maria C.Soares (E).

Concurso de Provérbios e Adivinhas: 4.º ANO – 1. Akil A. Abdul (Turma B); 2. Lianna Figueiredo Lucas (C); 3. Leslie Luísa Langa (C). 5.º ANO – 1. Matilde Nogueira Esteves (Turma E); 2. Tatiana Salomé T. Jua (E).

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo