web galagala1
Teve “casa cheia” a sessão de apresentação do livro «A história do João Gala-Gala», que retrata o percurso de vida de Chico António, conhecido músico moçambicano. Sucedeu ontem, no Camões – Centro Cultural Português, com as participações do próprio músico e dos autores Pedro Pereira Lopes (texto) e Luís Cardoso (ilustração) da mais recente obra literária publicada pela Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP).

A obra “narra a aventura de um rapaz que viaja do campo para a cidade onde semeia amigos e histórias e recolhe sons e harmonias com que mais tarde comporá as suas canções”, tal como retrata a sinopse do livro. O autor Pedro Pereira Lopes manifestou o desejo do livro poder vir a ser “um exemplo para os meninos da rua”, duvidando, no entanto, que eles venham a ter acesso ao livro a menos que, afirma, “a EPM-CELP torne o livro acessível às escolas moçambicanas através das parcerias que estabelece com esses centros educacionais” já que, conclui, “é uma história bastante local mas tem uma dimensão universal”.

web galagala2O músico moçambicano Chico António falou, na ocasião, da sua passagem do campo para a cidade e das dificuldades a ela associadas, a primeira das quais a língua pois, então, não dominava o português, mas apenas changana. “Foi muito difícil para mim comunicar. A segunda dificuldade foi que quando eu pedia algo para comer as pessoas batiam-me. Durante dois anos foi um pouco difícil”, confessou Chico António. Revelou, no entanto, que “pelo caminho houve uma senhora portuguesa que me adotou e pôs-me a estudar e, a partir daí, a vida começou a melhorar até hoje.” O músico exorta todos a aproveitarem as oportunidades que a vida oferece pois, explica, “podemos ser meninos de rua, mas também podemos ser presidentes ou ministros, dependendo da forma como agarramos essas chances, com muita força, alegria e sabedoria”.

Foi Luís Cardoso quem ficcionou a história na tela, dando-lhe “as cores de um cenário fantástico onde o ocre do campo se mescla com as luzes da cidade e dos seus múltiplos meandros”, tal como assinalado na sinopse do livro. Luís Cardoso declarou que a produção da obra foi um grande desafio “pelo facto de ser biográfico e sobre um artista que eu admiro muito, o Chico António”. Foi mais longe explicando que “o texto tem uma carga dramática muito grande e a imagem tem, também, de transmitir essa carga” pelo que confessou ter feito os possíveis para que, através da imagem, “o livro pudesse ser contado”.

Luís Cardoso, que tem a sua marca de ilustrador em várias obras da coleção infantojuvenil da nossa Escola, manifesta o seu reconhecimento à EPM-CELP, considerando o seu papel “exemplar em termos da divulgação e da promoção da literatura em Moçambique e de novos escritores moçambicanos”. Sobre a importância e exigência de qualidade da imagem nas obras literárias, Luís Cardoso explica que é “importante aprender a ler e a interpretar um texto tal como é interpretar a imagem”, garantindo que “os dois campos se complementam e se potenciam”.

“A história do João Gala-Gala”, na sessão de apresentação, foi dramatizada por alunos da Escola Completa Unidade 23, através de danças e teatro, sob a coordenação da Associação Iverca, ambas com sede em Maputo. É o 13.º lançamento da coleção infantojuvenil da EPM-CELP.
web galagala3 web galagala4

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo