A voz, o olhar e a expressão corporal são, entre outros, temas a abordar e explorar nesta iniciativa, preferencialmente dirigida aos professores do pré-escolar e do primeiro ciclo do ensino básico.

Ler não é contar e o contador não é um actor são alguns dos conteúdos propostos para aprendizagem no programa da acção de formação, o que ilustra o teor do convite dirigido a todos os interessados em verdadeiramente saber contar histórias em ambientes diversos, como sejam, por exemplo, o hospitalar, animação de leitura ou simples perfomances. A iniciativa pretende, também, estimular e impulsionar a criação de um Núcleo de Contadores Residentes da EPM-CELP, o que constituirá um desafio para os formandos.

Tânia Silva, professora do Departamento de Línguas da EPM-CELP, é a formadora da “Arte de Contar Histórias”, na esteira da actividade que vem desenvolvendo, em Portugal, com o Laboratório das Letras, projecto desenvolvido em parceria com a Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas e com a Associação Cultural Camaleão, de Coimbra.

As sessões dos dias 21, 22 e 23 de Setembro decorrerão em horário pós-laboral, das 17H30 às 19H30, e, no dia 30, das 15H30 às 19H00.

Leia mais sobre o percurso da Tânia Silva, ilustrado em Tricotando e na Red Internacional de Cuentacuentos.


Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo