web gestao.conflitos out18
Cerca de 30 funcionários afetos a áreas de assistência operacional e segurança da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP) concluíram, no último sábado (29 de setembro), uma ação de formação em matéria de “Gestão de Conflitos”, por iniciativa do Centro de Formação na nossa Escola direcionada, sobretudo, à elevação da prestação dos funcionários na sua relação com os alunos.

O primeiro módulo, que decorreu nos dias 15, 22 e 29 de setembro, orientado por João Paulo Videira, professor de Português e coordenador pedagógico do terceiro ciclo do ensino básico, visou, entre outros objetivos, dotar os participantes de ferramentas para melhor responderem aos atuais desafios na gestão de desavenças dentro da escola. De acordo com o formador, a formação consistiu na identificação da tipologia dos problemas mais comuns no âmbito dos conflitos na escola. Isto é, “se estamos perante conflitos, indisciplinas, violência ou “bullying”, a missão dos funcionários é identificar, de forma muito clara, as causas destes problemas. Eles precisam saber, no seu quotidiano, de que forma podem agir no sentido de protegerem melhor os alunos, de resolverem os conflitos entre os alunos, alunos e professores, alunos e pais e entre alunos e funcionários”, explicou João Paulo Videira.

O resultado obtido nas 15 horas de formação, divididas em igual número pelos três dias da ação, foi dotar os formandos de conhecimentos e estratégias novos para lidar, sobretudo, com os conflitos de interesses, que são mais visíveis entre os alunos. Os casos são em número reduzido, mas revela-se necessário atingir o valor zero nas situações de “bullyilng”, agressões, conflitos culturais e outros. “No fundo, queremos que os funcionários estejam preparados para fazerem parte da solução, para forçarem a sua autoridade e contribuírem para o ambiente mais harmonioso”, afirmou João Paulo Videira, acrescentando que, a seguir, seria importante abordar matérias sobre a comunicação e sobre o “stress” pois “é muito importante a comunicação na gestão de conflitos”, bem como “ter um módulo a falar do stress, pois, às vezes, o conflito é resultado do stress”, concluiu.

Luísa Antunes, diretora do Centro de Formação e Difusão da Língua Portuguesa, explicou que a ação faz parte do plano de atividades do corrente ano letivo, dirigido para a capacitação do pessoal docente e não docente em matérias associadas às respetivas áreas profissionais. A escolha do tema “Gestão de Conflitos”, segundo esclareceu, teve em vista evitar conflitos na escola e criar uma relação de maior proximidade entre todos os membros da comunidade escolar. “Os funcionários vão, a partir de agora, encarar de outra forma a gestão de possíveis conflitos e recorrer a algumas ferramentas que lhe permitam ter outro tipo de atuação perante essas eventualidades”, garantiu Luísa Antunes.

Francisco Macuácua, supervisor do pessoal operacional na EPM-CELP, considerou valiosa a formação e comprometeu-se, em nome de todos os colegas participantes, a aplicar na prática os conteúdos ministrados na ação de formação, sobretudo os relacionados com a responsabilidade, zelo e eficácia no trabalho quotidiano.

O segundo módulo desta formação, que vai juntar outros 30 funcionários, irá decorrer nos próximos dias 13, 20 e 27 de outubro nas instalações da EPM-CELP.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo