web dia.biblioteca 30OUT19
Na Biblioteca Escolar José Craveirinha (BEJC) da EPM-CELP há figuras marinhas, objetos musicais e cartas apresentadas como um livro aberto, nas quais se revelam dezenas de homenagens à poetisa portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen. A exposição, organizada conjuntamente pela Biblioteca Escolar e pela Música, inclui atividades dinâmicas e visa, para além de celebrar o centenário do nascimento da poetisa portuguesa considerada uma das mais proeminentes de sempre, comemorar o Dia da Biblioteca Escolar e o dia e mês da Música.


O Dia Mundial da Música foi celebrado a 1 de outubro e o da Biblioteca Escolar no passado dia 28. A organização decidiu aliar a dupla comemoração às festividades que marcam, neste 2019, os 100 anos do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, inspirando-se na temática poética da autora de “A menina do mar”, que é o oceano, tal como sugere o lema da iniciativa “sentir, tocar e imaginar”.

Os trabalhos expostos, feitos pelos alunos do primeiro ciclo do ensino básico no âmbito do projeto de flexibilidade curricular, ilustram, em telas coladas na biblioteca, figuras marinhas como peixes, algas, ondas do mar, lulas, pinguins e baleias. Noutro espaço, há livros rasurados pela poetisa, fotografias, recortes de livros, bilhetes de espetáculos, páginas com escritos inéditos de Sophia de Mello Breyner e, ainda, instrumentos de música fabricados com materiais alternativos, como garrafas de vidro, panelas e latas com água.

Falando sobre o conceito da exposição para os alunos visitantes, Ana Paula Relvas, coordenadora da BEJC e impulsionadora da iniciativa, referiu que as obras expostas – muitas delas recicladas pelos alunos da nossa Escola – contam a história de Sophia de Mello Breyner, desde a sua infância no Porto, em Portugal, as suas primeiras aparições literárias até às premiações, das quais se destaca o Prémio Camões, atribuído em 1999.

Para perceber a história e ter uma visita contextualizada, o público, em particular os alunos, passam pela exposição, no sentido horário dos acontecimentos, experimentam “toques” de instrumentos alternativos até chegarem a uma sala sensorial, onde se experimentam outras sensações do mar, da poesia e das obras da artista.

A exposição e as atividades associadas foram inauguradas a 28 de outubro, Dia da Biblioteca Escolar, e prosseguirão até ao próximo dia 6 de novembro.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo