É a primeira vez que Moçambique acolhe um planetário móvel como recurso educativo, o que constitui oportunidade única de aprendizagens científicas mais significativas para os alunos do ensino básico moçambicano. Após a montagem e utilização na Escola Secundária Josina Machel, onde terão lugar sete sessões de observação, o planetário móvel será instalado, dois dias depois (30 de novembro), na Escola Secundária Francisco Manyanga para outras tantas sessões, abrangendo, no total, cerca de meio milhar de alunos.

Entretanto, é já amanhã (27 de novembro) que terá início a semana de observação astronómica da EPM-CELP, que se prolongará até 5 de dezembro, com a realização de seis sessões diárias no planetário móvel, cedido pelo Centro de Ciência Viva de Sintra (Portugal), que o transportou para Moçambique precisamente para as jornadas de divulgação científica do projeto "O céu nas nossas mãos".

A importância destas jornadas de divulgação científica e do projeto "O céu nas nossas mãos" para a comunidade educativa moçambicana foram reconhecidos pelo ministro da Educação de Moçambique, que não só estará presente na cerimónia de apresentação pública como também se fará acompanhar pelo vice-ministro do sector, Francisco Itai Meque, e diretores nacionais do Ensino Primário, do Ensino Secundário, do Ensino Técnico Profissional, dos Programas Especiais e do Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação.

A presença do planetário móvel em Moçambique deve-se ao esforço conjugado da Escola Portuguesa de Moçambique e do Centro Ciência Viva de Sintra (Portugal) que, para o efeito, mobilizaram os recursos financeiros necessários junto de patrocinadores empresariais que operam no mercado moçambicano. Desta forma foi possível alargar as jornadas de divulgação científica, através da astronomia, ao sistema de ensino moçambicano para além das que estão previstas na Escola Portuguesa de Moçambique.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo