web velorio.canotilho 30OUT19
A comunidade escolar da EPM-CELP reuniu-se, na manhã de hoje, na capela do Hospital Central de Maputo, para prestar a última homenagem a Ana Paula Canotilho, na sequência do seu desaparecimento físico, que surpreendeu amigos, familiares e colegas de trabalho na madrugada do último sábado.

Para além da personalidade arrojada e irreverente, a militância feminista, política, social e cultural de Ana Paula Canotilho com que contagiou, em vida e até ao último fôlego, os mais próximos, retumbou em coro nas distintas mensagens proferidas ao longo da cerimónia.

De Portugal ecoaram mensagens que enalteceram as realizações de uma mulher zelosa, materna, rebelde e autêntica num tom que sensibilizou e emocionou os participantes na cerimónia de despedida.

Para alunos de Ana Paula Canotilho, igualmente presentes, a jovialidade, sociabilidade e empatia são, entre outras, as marcas indeléveis de uma experiência que os aproximou dos valores cívicos da professora. A Direção da EPM-CELP, por sua vez, honrou a memória de Ana Paula Canotilho, destacando a sua intervenção cívica e luta na promoção da igualdade e da justiça através da educação, a cuja mensagem se associou a homenagem prestada pela embaixadora de Portugal em Moçambique, Maria Amélia Paiva.

Unidos por laços e interações, estabelecidos recentemente ou no passado, amigos, familiares e colegas de trabalho partilharam intimidades e testemunharam episódios nos quais estiveram evidentes as convicções e o vigor com que Ana Paula Canotilho enfrentou a vida que se extinguiu, mas permanece na memória de muitos.

Mensagem de alunas
web ana.paula.canotilho 26OUT19Stora Paula,

As suas aulas eram a nossa motivação para irmos para a escola.

A sua alegria, o seu sorriso, a sua sabedoria e o seu sentido de humor foram sempre uma das nossas fontes de inspiração. No pouco tempo que a conhecemos inspirou as nossas vidas e tornou-se uma figura de referência para nós. Um dia, como em muitos outros, chegou à aulas maningue txunada e nós comentámos que estava muito bonita e se tinha algum encontro. Ela respondeu que se tinha arranjado assim para nós! Nesse dia, foi fotografada para o jornal e nós escolhemos a fotografia final... O nosso espaço de trabalho tinha de ser o mais agradável: sempre que possível, o Pátio das Laranjeiras. Era lá que conversávamos sobre todos os assuntos que nos preocupavam ou pelos quais tínhamos curiosidade de saber mais...desde quaisquer questões até experiências que partilhávamos. Às vezes zangava-se: certo dia a Nicole, que já tinha demorado a mostrar um trabalho, disse que, mais uma vez, se tinha esquecido dele. A professora irritou-se e disse “Ó Nicole, não pode ser”. A Nicole, com brilho nos olhos, mostrou o trabalho e a stora começou a rir.

Uma das aulas mais felizes que tivemos foi aquela em que nos disse que os seus alunos eram o que a incentivava a ir para a escola. Lembra-se?

Nós estamos cá e a professora também, porque a sua inspiração estará sempre connosco, ao longo das nossas vidas!
Nicole da Cunha, Gerson Lhilengue, Ana Picolo, Júlia Sacramento,
Carolina Peral, Priscilla Tercitano e Tânia Silva

Comentários   

+1 #1 Jorge Canotilho 06-11-2019 16:49
Depois de vos ler, senti-me comovido. Tal retrato fiel desta minha prima que nos deixa a todos,família,a migos e camaradas que com ela partilhavamos ideais , muitas saudades e tao nobres recordações pelos valores defendidos.
Nunca serás esquecida .
Citar

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo