web visita.gaiato jun18
Após descobrirmos o verdadeiro tesouro, o da AMIZADE, nós, os “Piratas do Arco-íris” (turma A do pré-escolar), partimos numa nova expedição, no Dia da Criança Africana (16 de junho). Em busca de novos tesouros e amigos, chegámos à Casa do Gaiato, em Boane. Fomos muito bem-recebidos por todos os meninos, pequenos e graúdos, pelas suas professoras e pela Irmã Quitéria, a Mamã da casa.

Para melhor nos conhecermos, fizemos uma grande roda e bem alto cada um disse o seu nome. Apresentações feitas, dançámos e cantámos com muita energia e alegria, facto que nos abriu o apetite para um lanchinho.
Ainda muito teríamos para ver, fazer e criar...

Juntos pintámos o muro do campo de futebol e demos uns toques na bola. Animou! Como ficou lindo!!!

Não sei se sabem, mas na casa do Gaiato vivem muitos meninos e, para todos saberem que está na hora do almoço, batem numa barra de ferro, assemelhando-se ao som dum sino. Lá fomos nós num grande comboio lavar as mãos para irmos para o refeitório. Foi divertido comer com os nossos novos amigos, portámo-nos todos muito bem!

A seguir os meninos da casa foram descansar e nós fomos ver os animais que existem por lá. Vimos cães, burros, vacas, cabritos, galinhas, porcos e avestruzes. Corremos à vontade, pois ali não há perigo, não passam carros e também saltamos em cima dos montes de palha.

Tivemos um espetáculo de Magia, com um mágico muito divertido, que até desapareceu num buraco no chão, seguindo-se um momento de música com a Catarina e o seu acordeão.
Estávamos todos cansados e a precisar de um bom banho. Então, apanhámos o “chapa” que nos levou para o aldeamento dos Pequenos Libombos, onde dormimos. Foi bem divertido, dormimos juntos, fizemos festa de pijama e luta de almofadas.

web visita.gaiato1 jun18Domingo de manhã voltamos, de “chapa”, para a Casa do Gaiato. Fizemos um percurso de orientação, género caça ao tesouro, e um mega campeonato de futebol. Após estes momentos de maior atividade física, celebrámos a Eucarística onde participámos nas danças e cânticos. Como era bela aquela capela, num alto monte. Sabem que mais, em nada se parecia às capelas que normalmente vemos por aí. Nem parecia que estávamos a rezar a missa, de tão animada que foi. Cantámos em português e em changana, todos juntos!

Mais tarde, chegaram as mães, pais, avós e irmãos para nos virem buscar e tivemos um verdadeiro almoço de Família dos Piratas e dos Gaiatos.

Em nós ficou um sentimento de gratidão por tudo de bom que vivemos. Inesquecível! Também permaneceu uma grande admiração por todos aqueles que ali trabalham e proporcionam aos Gaiatos um lar cheio de amor e carinho.

Bem hajam!
Ana Isabel Carvalho (Educadora da EPM-CELP)
e Catarina Domingues (Terapeuta da Fala da EPM-CELP)

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo