web capulejos 26fev19
A capulana, a tinta, o papel vegetal e um pedaço de cerâmica vidrada deram origem ao “capulejo”, um novo azulejo criado, na tarde de hoje, no átrio central da EPM-CELP, pelos alunos das turmas D, E e F do sexto ano do ensino básico. O objeto mistura o padrão da capulana moçambicana e o azulejo português, unindo culturalmente os dois países, e homenageia o património azulejar de Portugal.

Designada “Oficina de Azulejaria – Criando Capulejos”, a atividade foi dinamizada pela ceramista portuguesa Teresa Rodrigues, que estimulou a criatividade e o engenho dos alunos. Cores, personagens, flores e emoções deram vida aos “capulejos” que, brevemente, serão expostos no Camões – Centro Cultural Português em Maputo, segundo revelou Sara Teixeira, professora de Educação Visual na nossa Escola e impulsionadora da implantação na EPM-CELP do projeto “Ação Escola SOS Azulejo 2019”, com origem numa iniciativa da Polícia Judiciária de Portugal com o objetivo de travar a delapidação do património azulejar português.

web capulejos1 26fev19“Agora vamos ver os resultados. Depois de vidrados, alguns irão ficar melhor e outros nem tanto. A ideia é juntar e fazer um painel, tanto é que já temos um convite para expor no Camões – Centro Cultural Português em Maputo por ocasião do Dia de Portugal, a 10 de junho. Se isso não for possível, vamos expor aqui na Escola”, explicou Sara Teixeira. A oficina hoje realizada revitalizou o conjunto de azulejos individuais que os alunos planificaram em contexto de sala de aula, dando o nome de “capulejo”. A ideia inicial foi associar a capulana como fonte de inspiração para decorar o azulejo e, assim, juntar as culturas de Moçambique e de Portugal.

A formadora Teresa Rodrigues, ceramista que trabalha em ações de conservação e restauro de azulejos, revelou que a importância da oficina é transmitir às crianças o valor do azulejo, mas também, no contexto da Ação SOS Azulejo, sensibilizar para a problemática de conservação do património azulejar. Teresa Rodrigues acredita que a iniciativa sensibiliza os alunos para os azulejos e sua beleza, bem como para a sua conservação e, sobretudo, localização.

A “Oficina de Azulejaria – Criando Capulejos” foi a última etapa do projeto “Ação Escola SOS Azulejo” na EPM-CELP. Teve início com um trabalho de captação de imagens de azulejo nas igrejas, habitações, restaurantes e estações de comboios nas províncias de Maputo e Gaza e, ainda, na Vila da Namaacha, que culminou com a Exposição I, designada “Os azulejos de Maputo vistos pelos nossos alunos”. Seguiu-se a oficina criativa de combinação da capulana e do azulejo, traduzida em desenhos e recortes, através da técnica de colagem que deu origem a Exposição II, “Desenho de Capulejos – A capulana retratada no azulejo”, e, por fim, a oficina do “capulejo”.

Em 2017 a Ação Escola SOS Azulejo 2019 contou com mais de 15 mil participantes e, em 2018, teve as presenças do Brasil e da Suíça, ganhando, assim, dimensão internacional.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo