web capulejo1 fev19
Estão patentes no átrio central da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP), até 1 de março próximo, duas exposições de alunos do sexto ano do ensino básico, das turmas D, E e F, que ilustram o património de azulejos portugueses existente em Moçambique e desafia a criatividade e engenho dos pequenos artistas na introdução da capulana na decoração do azulejo. Os trabalhos, dinamizados em articulação curricular entre as disciplinas de Educação Visual e de História e Geografia de Portugal, congregam cores, personagens, flores e emoções.

As primeiras obras, reunidas na Exposição I, designada “Os azulejos de Maputo vistos pelos nossos alunos”, resultaram de captações de imagens de azulejo nas igrejas, habitações, restaurantes e estações de comboios nas províncias de Maputo e Gaza e, ainda, na Vila da Namaacha. Para além de cores e da forma do “objeto”, os estudantes recolheram dados relacionados com as condições das infraestruturas que contêm os azulejos, nomeadamente o seu estado de conservação e, sobretudo, a possibilidade da sua recuperação.

web capulejo2 fev19A Exposição II, “Desenho de Capulejos – A capulana retratada no azulejo”, patenteia a combinação da capulana e do azulejo, traduzida em desenhos e recortes, através da técnica de colagem. Neste trabalho de fusão reconhecem-se sombras, cores, flores, combinações de animais, objetos, paisagens e rostos.

As duas exposições estão inseridas na Acão Escola SOS Azulejo 2019 que valoriza o património azulejar português, principalmente junto das gerações mais novas. O próximo passo, agendado para 26 de fevereiro em curso, é dar corpo aos «capulejos», ou seja, registar nos azulejos os desenhos dos alunos, o que vai decorrer durante a “Oficina de Azulejaria”, que será dinamizada pela ceramista portuguesa Teresa Rodrigues que, em 2017, realizou ações de conservação e restauro em painéis na nossa Escola.

As exposições oferecem também ao visitante uma apresentação multimédia, em projeção “non stop”, a qual relata e ilustra todos os passos dados nesta Ação Escola SOS Azulejo 2019, para a qual a EPM-CELP foi convidada a organizar a primeira edição em Moçambique. Aquela apresentação documenta e ilustra o envolvimento dos alunos na iniciativa, concretamente no trabalho de campo de levantamento e identificação do património de azulejos de Maputo e na exploração criativa do conceito de capulejo, em ambiente de sala de aula, produzindo os desenhos para, posteriormente, serem o padrão dos capulejos. Subsidiariamente, a apresentação também expõe o património de azulejos da nossa Escola, desde a sua conceção e montagem até a trabalhos de restauro, passando pelos momentos solenes de inauguração de alguns painéis.

Refira-se que em 2017 a Ação Escola SOS Azulejo 2019 contou com mais de 15 mil participantes e, em 2018, teve as presenças do Brasil e da Suíça, ganhando, assim, dimensão internacional.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo