web jomun1 08OUT19
Uma semana após participarem na 17.ª edição da JoMUN (Modelo das Nações Unidas), realizada em Joanesburgo, na África do Sul, pela segunda vez consecutiva com participação de uma delegação da EPM-CELP, nove alunos da nossa Escola reuniram-se, ontem, no Auditório Carlos Paredes, com seus colegas do ensino secundário, professores e membros da Direção para falarem das suas experiências diplomáticas.


Motivados com o sucesso alcançado no JoMUN19, ao nível da relação argumentativa em língua inglesa com outros estudantes do mundo, Roda Nhangave, Shelton Fenhane, Aisha Hamad, Daniela Paixão, Dominique Mandlazi, Diogo Serra, Manuel Guimarães, Nicole Magane e Karen Mimbir ofereceram à plateia informações motivadoras para o exercício da cidadania académica em quase todos os campos discutidos na conferência de Joanesburgo.

Na edição 2019, de acordo com os estudantes, a delegação foi repartida em comités cuja finalidade foi resolver problemas de desarmamento, do ambiente, do fórum económico e social, dos direitos humanos e de outros males que fustigam o continente africano. Cada aluno representou um povo, desde a Europa, África, Ásia e América do Norte conforme o necessário para fazer jus ao direito de usar metodologias ajustadas às soluções dos problemas locais.

Sandra Macedo, professora coordenadora da representação da EPM-CELP e facilitadora do pensamento crítico dos alunos, convidou os estudantes presentes no encontro a manterem a sua participação nas iniciativas do Modelo das Nações Unidas (MUN) pois “é um projeto para construir pessoas melhores. O mundo precisa de pessoas com competências para questionar, analisar e debater ideias para a resolução de qualquer tipo de problema”, afirmou Sandra Macedo na abertura da reunião.

Abubacar Ibraimo, professor de inglês e responsável pela preparação dos debates em contexto de sala de aula, afirmou, por sua vez, que o MUN é o futuro dos estudantes “porque ensina a desenvolver estratégias, a questionar, a negociar e a fazer aliados”, explicou, acrescentando que “estar a discutir problemas em inglês com estudantes mostra o nosso nível de preparação e o quão preocupados estamos em sermos cidadãos do mundo”.

A EPM-CELP participou no JoMUN pela segunda vez consecutiva, mas a história do seu envolvimento nos debates do MUN é mais antiga. Manuel Guimarães, aluno do “12.ºA2”, por exemplo, é exemplo disso mesmo, contando já duas participações no JoMUN e quatro no MUN, como membro do setor dos média. Falando hoje da sua experiência como secretariado e jornalista em dois anos nas conferências da África do Sul, Manuel Guimarães explicou que, enquanto ser humano, mas sobretudo estudante, o seu único trabalho foi aprender. “O JoMUN ensina a enfrentar necessidades em escala internacional. Saber pensar e solucionar problemas”, afirmou, dissipando medos sobre o modelo: “a dificuldade na língua inglesa não nos pode limitar. Não é campeonato e nem torneio. É apenas um lugar onde demonstramos as nossas sensibilidades”, concluiu.

No final do encontro, a Direção da EPM-CELP entregou certificados de participação aos nove alunos da delegação da nossa Escola.

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo