web oculos.virtuais jun18Maria João Teixeira, do “9.ºC”, e os seus “Óculos de Realidade Virtual” foram os vencedores da edição 2018 do concurso “Brinquedos Científicos”, cuja etapa decisiva teve lugar no passado dia 1 de junho, Dia Mundial da Criança, no Auditório Carlos Paredes, onde os 15 autores finalistas apresentaram e defenderam os seus trabalhos perante o júri.

O “Foguetão” de Hugo Nascimento, também do “9.ºC”, e “A Magia da Força Centrífuga e Centrípeta” de Allana Miquidade, do “9.ºB” conquistaram, respetivamente, os segundo e terceiro lugares da competição da iniciativa do grupo disciplinar de Físico-Química e do projeto “Mãos na Ciência” da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP). Todos os brinquedos científicos participantes na edição 2018, desenvolvidos por alunos do terceiro ciclo do ensino básico, estão expostos no átrio central da nossa Escola até à próxima sexta-feira (8 de junho), não só para visualização como também para experimentação.

web foguetao jun18O júri da sessão final foi composto por Marina Guedes, bióloga e cientista social, traduzindo, pela primeira vez na história desta iniciativa, uma participação externa, Alfeu Paula, professor de Físico-Químicas, Ana Paula Relvas, docente de Português e coordenadora da Biblioteca Escolar José Craveirinha, e José Tomé, professor de Ciências Naturais e coordenador do Departamento de Ciências Exatas e Experimentais.

Entre os critérios de avaliação dos trabalhos concebidos e apresentados pelos alunos constaram a qualidade da construção do brinquedo, a demonstração de capacidade cientifica e investigativa, a criatividade, o funcionamento do brinquedo e a defesa oral do invento. Neste último particular, foi importante o papel dos professores de Português envolvidos na iniciativa ao promoverem práticas formais e públicas de oralidade. Por outro lado, Sónia Pereira, coordenadora do projeto “Mãos na Ciência”, lembrou que “um bom trabalho não envolve obrigatoriamente complexidade”.

“Deve ser um trabalho de equipa e multidisciplinar”
O projeto brinquedos científicos tem como objetivo estimular e promover nos alunos experiências de aprendizagens fora do contexto fechado de sala de aula e aprimorar os seus conhecimentos, colocando-os em prática. Sónia Pereira esclareceu que foi propósito desta atividade promover o envolvimento de várias pessoas na conceção e construção do brinquedo, como por exemplo familiares, amigos ou colaboradores, incentivando o aluno-autor a assumir o papel de líder do projeto. Tal como afirmou Sónia Pereira a propósito, “deve ser um trabalho de equipa e multidisciplinar”.

web magia.forca jun18Apesar de o projeto ter sido de caráter obrigatório para alunos dos sétimo e oitavo anos, os do nono ano também tiveram oportunidade de utilizar saberes e competências adquiridos no decorrer do terceiro ciclo de escolaridade na construção e apresentação de um brinquedo, vindo mesmo a conquistar os três primeiros lugares do concurso.

A atividade e concurso brinquedos científicos tem sido para os alunos envolvidos campo experimental e de descoberta de potenciais vocações, capazes de auxiliar os estudantes nas escolhas futuras de percursos académicos e profissionais.

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo