web brinquedoscientificos2017
Brinquedos científicos fabricados por alunos do terceiro ciclo foram expostos no átrio central da nossa Escola e estiveram em competição na sua apresentação à comunidade educativa, no Auditório Carlos Paredes, no passado dia 1 de junho, Dia da Criança. Bruna Chaves (9.º E), Kevin Paresh (8.º B) e Mateus Spencer (9.º C) foram os alunos vencedores do concurso para o qual foram selecionados 20 trabalhos.

Entre os critérios de avaliação dos brinquedos concebidos e produzidos pelos alunos constaram os da construção do brinquedo, os espíritos científico e investigativo, a criatividade e o funcionamento. “Um bom trabalho não envolve, obrigatoriamente, complexidade”, referiu Sónia Pereira, professora coordenadora do projeto «Mãos na Ciência», promotor do evento em parceria com o grupo disciplinar de Físico-Química. “Tivemos, também, a colaboração dos professores de Português na componente oral para avaliarmos igualmente a capacidade de explicação científica de cada aluno”, esclareceu Sónia Pereira.

O projeto dos brinquedos científicos teve início no ano letivo de 2012/2013, impulsionado por Helena Correia, então coordenadora do projeto «Mãos na Ciência», e tem como objetivo fazer com que os alunos saiam do contexto fechado das aprendizagens em sala de aula. Desta forma, podem expandir as suas descobertas, criatividade e sentido de curiosidade e exploração, com recurso aos ensinamentos de vários ramos da ciência, realizando trabalhos práticos em ambiente autónomo de partilha com, por exemplo, familiares ou colaboradores, como eletricistas, serralheiros, canalizadores e informáticos, nomeadamente. “Sempre incentivámos os alunos a procurarem ajuda de forma a que o brinquedo seja um projeto não só deles, mas sim liderado por eles”, informou Sónia Pereira, para quem a produção do brinquedo científico “não é um trabalho individual, mas, acima de tudo, de equipa e multidisciplinar”.

De caráter obrigatório para os alunos dos sétimo e oitavo anos do ensino básico, o projeto dos brinquedos científicos foi também aberto aos estudantes interessados do nono ano. Os trabalhos produzidos estiveram em exposição no átrio central da nossa Escola e não só disponíveis para visualização, mas também para experimentação por todos os interessados e curiosos.

Os três brinquedos apurados vencedores na etapa competitiva do projeto, realizada no Auditório Carlos Paredes, foram o “Corta Esferovite”, de Bruna Chaves, o “Microscópio”, de Kevin Paresh, e “Solenoide”, de Mateus Spencer.
“Houve sempre encarregados de educação e alunos a tentarem perceber como funcionavam os brinquedos, tendo a exposição suscitado o interesse e a curiosidade de toda a comunidade educativa”, destacou Sónia Pereira, quando se referiu ao balanço da exposição, explicando que para a mesma foram “selecionados os trabalhos mais práticos que podem ser experimentados, isto é, mais simples em termos de manuseamento”.

De acordo com a organização, o evento teve uma forte adesão por parte dos alunos e dos encarregados de educação pelo que se mantém a intenção de o voltar a realizar no próximo ano letivo.
web brinquedoscientificos2017a
web brinquedoscientificos2017X01 web brinquedoscientificos2017X02
web brinquedoscientificos2017X03 web brinquedoscientificos2017X04
web brinquedoscientificos2017h web brinquedoscientificos2017.g
web brinquedoscientificos2017z

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo