web 7festival.escolascomlivros out18
Sob o lema “Viagens”, arrancou na manhã de hoje, na Escola Primária Completa Nossa Senhora do Rosário, na cidade de Maputo, o 7.º Festival “Escolas Com Livros”, que, logo no primeiro de cinco dias, evidenciou competências artísticas dos petizes no palco da Escola Primária Completa Nossa Senhora do Rosário. Seis escolas das 33 integradas no projeto “Mabuko Ya Hina” adaptaram contos literários infantojuvenis em dança, dramatizações, canto, poesia e teatro, que proporcionaram aprendizagens múltiplas.

Depois da entoação do hino nacional moçambicano, o esptáculo começou com a dramatização do texto “O Cão Moletas”, por alunos da Escola Primária Completa Polana Caniço “A”, que transitavam de cânticos exaltados a danças “xigubo” e “xingomana” para complementar e ilustrar a história. Logo a seguir entrou em cena o grupo da Escola Primária Completa Imaculada para encenar a peça “A Viagem”, adaptada do livro editado pela Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP) da escritora Tatiana Pinto. O enredo, tal como justifica o título, foi uma viagem por vários lugares históricos de Moçambique, evidenciando a diversidade cultural neles existentes.

E porque o mote eram “viagens”, sonhadas ou reais, os alunos da Escola Primária Completa Unidade 23 seguiram o mesmo trilho dos lugares emblemáticos, focando-se na cidade de Maputo, no bairro da Mafalala. A apresentação, também com danças e cânticos, fascinou o público pela sua clareza nos textos, harmonia e cadência na dança e subtileza na sincronização dos momentos. Em cada exibição, manifestaram-se o talento, a memória e a pedagogia, transformados em diversão reinante no auditório da Escola Primária Completa Nossa Senhora do Rosário, onde as escolas primárias de Maxaquene “C”, Maguiguana e Matchiki-Tchiki demonstraram igualmente a sua força artístico-cultural. Outro ponto alto da manhã foi a exposição de desenhos criados pelos alunos das escolas moçambicanas e da EPM-CELP, montada no palco.

Cláudio António Inguane, diretor da escola anfitriã, considerou positivas as atuações dos pequenos artistas, destacando a interação do didático no lúdico, como forma de disseminação do conhecimento. Para aquele dirigente “houve apresentações de se tirar o chapéu”, acrescentando que todos saíram a ganhar com a ligação da cultura local com a europeia. Relativamente às exibições dos próximos dias, que se estenderão até sexta-feira (19 de outubro), o responsável pela EPC Nossa Senhora do Rosário afirmou que “só pelas expressões faciais, pela poesia, dança e o espetáculo de hoje, nasce em nós uma esperança. Que os grupos de amanhã e de outros dias seguidos tenham algo melhor ainda”.

O 7.º Festival “Escolas Com Livros” ocupará, a partir de hoje, todas as manhãs desta semana na EPC Nossa Senhora do Rosário, à exceção da quinta-feira (dia 18) que acolherá a apresentação, no Jardim dos Professores, da obra “A Formiga Juju e a Borboleta Mwarusi”, de Cristiana Pereira e Walter Zand.

O Festival “Escolas Com Livros” é o evento que, anualmente, divulga o trabalho realizado ao longo do ano letivo pelas escolas abrangidas pelo projeto “Mabuko Ya Hina”, desenvolvido no âmbito do Protocolo de Cooperação, assinado a 3 de março de 2010, entre os governos de Portugal e de Moçambique nos domínios das bibliotecas escolares e da promoção da leitura. O protocolo visa a criação e o desenvolvimento de bibliotecas escolares e de um conjunto de iniciativas de promoção da leitura nas escolas comunitárias e primárias moçambicanas, reconhecendo os governos signatários o papel da leitura no favorecimento do sucesso escolar e na formação global dos alunos.

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo