web silviaalves01 out18
A propósito da visita da escritora portuguesa Sílvia Alves à Escola Primária Completa e Secundária 12 de Outubro, organizada pela EPM-CELP e pelo Camões - Centro Cultural Português no âmbito da Feira do Livro de Maputo e evento também integrado no Mês da Literacia da nossa Escola, este último por iniciativa do projeto "Mabuko Ya Hina", Filipa Pais, membro da equipa do referido projeto, assina o texto sobre o evento, a seguir transcrito.

“As histórias de Silvia Alves na EPC e ES 12 de Outubro.
Dia 28 de Setembro, pelas 9h chegou à escola primária e secundária 12 de Outubro a escritora Silvia Alves acompanhada pela nossa Diretora Dina Trigo de Mira, para uma visita muito especial. A escola 12 de Outubro tem crescido muito desde 2012, ano da inauguração da segunda biblioteca do projecto Mabuko ya Hina, nessa época era só uma escola primária, e atualmente já tem o ensino secundário. A visita acompanhada pelo Diretor Adjunto Vígor Paia e pelo professor Simião Muzime um dos responsáveis pela gestão da biblioteca, começou pelas salas de aula, pavilhões desportivos, gabinetes administrativos e terminou na biblioteca para uma sessão de histórias.

Pela voz da autora ouvimos primeiro um dos textos do livro " Histórias de um Chapéu”, que tinha sido lançado no dia anterior na Feira do Livro de Maputo e depois " Coisas de mãe", um livro recomendado pelo Plano Nacional de leitura para o 4ºano de escolaridade, que cantarolou uma música muito bonita que a mãe cantava à filha antes de adormecer para espantar o medo dos lobos: "de manhã segue uma estrela à tarde os girassois à noite segue o silêncio escondido nos lençois. Chegou depois a partilha dos alunos do primário, que tinham alguns poemas preparados para ler e que foram ensaiados pelo mestre voluntário Celso Nhancale e os do secundário pelo Prof. António Manganhela, com destaque para o texto do Denilson Gitoi da 10º classe que falou sobre a Educação na 12 de Outubro, "todos sabemos que a 12 de Outubro é uma escola pública, muitas vezes nas escolas públicas há desiquilibrios na educação, e nós representantes dos alunos da escola, estamos sempre disponíveis para melhorar e contribuir para estabelecer um equilibrio, incentivando os outros e desfrutando dos recursos que temos na nossa biblioteca. Antigamente era muito fácil o professor receber justificação em relação à não apresentação de trabalhos de casa, mas hoje em dia é muito diferente, porque na nossa biblioteca temos computadores, impressoras e muitos livros que nos permitem aperfeiçoar o nosso conhecimento. Estamos profundamente gratos pela nossa biblioteca e é com base nos recursos que possui que continuaremos a ter uma "educação inclusiva, equitativa e de qualidade." E para a poesia da Aristela Nuvunga que falou sobre os casamentos prematuros, um tema de extrema importância, e que pode ser lido: Na Ponta da Língua. Ainda houve tempo para algumas perguntas dirigidas à escritora Sílvia, sobre como escolhe os títulos dos livros, dicas para quem quer começar a escrever, e recomendações na escolha dos temas. Agradecidos pela visita, a biblioteca recebeu mais 10 livros da autora para juntar ao acervo da 12 de Outubro. No final já estávamos na hora do recreio e a escritora relembrando os tempos de estudante foi saltar ao elástico com os meninos e meninas que a seguiam. Hitavonana Sílvia Alves!”
Filipa Pais
web silviaalves02 out18 web silviaalves03 out18
web silviaalves05 out18 web silviaalves06 out18
web silviaalves04 out18


jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo