web expoestrela2017
Os alunos da turma E do nono ano do ensino básico da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP) montaram um laboratório de física experimental na Escola Secundária Estrela Vermelha, com recurso a materiais recicláveis. No final da visita, realizada a 5 de junho, depois de demonstrarem e explicarem o funcionamento de cada uma das “engenhocas”, doaram a exposição à escola moçambicana.

Foram 18 os alunos que expuseram 15 experiências, construídas na disciplina de Educação para a Cidadania, mas inspiradas na exposição «Física no dia-a-dia», em permanência na nossa Escola, a qual associa fenómenos do quotidiano a fundamentos da Física, como luz e visão, som e audição, forças, eletricidade, densidade e pressão. “Tendo como objetivo a permanência da exposição, cada aluno responsabilizou-se por uma experiência, tendo por base a utilização de materiais recicláveis e de fácil substituição”, explicou Sónia Pereira, professora da disciplina de Físico-Química daquela turma e coordenadora do projeto «Mãos na Ciência» na EPM-CELP.

A doação dos materiais utilizados e expostos nesta iniciativa à Escola Secundária Estrela Vermelha pretende facilitar as aprendizagens práticas e experimentais dos seus alunos de modo a aproximar a Física das suas experiências do quotidiano, sendo objetivo da EPM-CELP “replicar o modelo em outras escolas moçambicanas”, revelou Sónia Pereira.

O balanço da visita dos nossos alunos à escola moçambicana foi bastante positivo, considerou Sónia Pereira, pois reparou que “os alunos da EPM-CELP envolveram-se no projeto e conseguiram explicar aos colegas como funcionavam as experiências”, afirmou, acrescentando que “o entusiasmo dos professores e alunos da Escola Secundária Estrela Vermelha foi um claro sinal de que este tipo de projetos é humanamente enriquecedor e impulsionador da ciência para quem os faz e para quem os recebe.”

Na cerimónia de entrega da exposição experimental participaram o conselheiro para a Cooperação da Embaixada de Portugal em Moçambique, Miguel Girão, o representante da Direção de Planificação e Cooperação do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) de Moçambique, Armando Sambo, e o diretor da Escola Secundária Estrela Vermelha, Gilberto Reis.

Miguel Girão falou da importância do estabelecimento de relações de cooperação entre as instituições portuguesas e moçambicanas, as quais podem, na sua opinião, alcançar objetivos comuns, destacando, ainda, a necessidade de preservar os materiais entregues pela EPM-CELP para que sejam utilizados por outros alunos. Já Armando Sambo, do MINEDH, reconhecendo a ligação de grande parte da vida diária à Física, afirmou que que “ao adquirimos novos conhecimentos através da física tornamos a nossa vida mais fácil”, concluindo que o objetivo da iniciativa é “reforçar o gosto pela Física a cada dia que passa”, pelo que é importante “manter uma cooperação ligada ao desenvolvimento”, acrescentou.

Por fim, ao diretor da Escola Secundária Estrela Vermelha, Gilberto Reis, não passou despercebida “a aula diferente que ocorreu de aluno para aluno e não de professor para aluno”, destacando a capacidade dos alunos promotores da iniciativa no quadro da cooperação estabelecida entre a EPM-CELP e o estabelecimento de ensino que dirige.

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo