web isolamento maio2020Acordo todas as manhãs com o ar preso no pulmão.
Questiono-me: será realidade ou mais uma reflexão?
Pois bem, acho que não.
É mesmo verdade.

Saio da cama num reboliço de ideias e emoções.
Dou por mim, e já tomei banho e tomei o pequeno almoço,
e agora estou à frente do ecrã do computador.
Queimo os olhos em busca de sabedoria,
mas pouco entra.
E uma voz dentro de mim diz, aguenta, aguenta…
Passam alguns minutos e já estou com o telemóvel na mão:
vejo nas redes antissociais
pessoas banais
a andarem na rua sem máscara e sem hesitação,
altas férias na praia, todos os dias uma nova curtição…
Na minha cabeça sinto-me confuso:
como é que eu estou em casa a proteger-me e ao resto da população
e esta não tem compaixão?
As mesmas pessoas que afirmam estar muito tristes com a situação,
basta ouvirem as caricas a baterem no chão, que se juntam todas com grande excitação.
Todos os dias a situação piora…
Nunca fui de rezar, só desejo que nenhum dos meus se vá embora.
Entretanto, o mundo roda e eu já perdi a noção temporal e espacial.
Sinto-me cada vez mais um robô e distancio-me do meu lado animal…
Nesta quarentena já me isolei ao nível físico, social..
E agora?
O que advém?
Isolamento mental?
web bruno.drayBruno Dray (2020 11.ºA4)
“Em busca de um amanhã mais feliz”

Comentários   

0 #1 GRACIELA VALENTE 08-06-2020 15:31
PARABÉNS, Bruno

Grande poeta!! Estou super orgulhosa!! :-)
Citar

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

Logo UPA

despesc

Topo