cartaz master site19 a 27 de junho de 2013

Concertos finais - Auditório Carlos Paredes, 18H30


Dia 26 - Piano
Dia 27 - Violino
Dia 28 - Atuação dos professores



Do ouvido à mão


Ao tentar ensinar um menino de quatro anos a tocar violino, Suzuki, músico e filho de um fabricante de violinos japonês, teve uma revelação que revolucionaria a forma de olhar para a aprendizagem musical. O postulado era simples: "se todas as crianças japonesas falam japonês sem problema algum, se todas as crianças alemãs aprenderam com facilidade, prazer e sem esforço a falar alemão, enquanto eu em adulto tive tantas dificuldades em aprendê-la, deve haver na aprendizagem da língua materna um método perfeito que seja transponível para a aprendizagem de outras linguagens, incluindo a linguagem musical".

Este pensamento - diz Suzuki numa entrevista - foi como um clarão numa noite escura e a partir dele a sua metodologia viria a aperfeiçoar-se partindo da identificação das condições para a aprendizagem da linguagem musical idênticas à da aprendizagem da língua materna: a escuta, a memorização e a repetição, ao invés da construção de este conhecimento a partir de abstrações técnicas.

De facto, o talento musical, como qualquer outro, não é inato, mas conquista-se e a chave para uma aprendizagem de sucesso está no ambiente criado em torno da mesma: o afeto, a participação dos pais, o elogio, os bons exemplos são ingredientes necessários à aproximação a uma educação músico-instrumental numa idade precoce.

Uma criança que tenha contacto com a música logo no nascimento terá muito maior possibilidade de se tornar um músico do que uma criança a quem apenas se ensine a técnica instrumental. Por esta razão abraçámos este método, esperando conseguir que os nossos alunos desfrutem da música como uma linguagem para exprimirem sentimentos e ideias, potenciando o seu desenvolvimento global e a sua participação numa sociedade mais pacífica e mais feliz.

Este ano a EPM-CELP estendeu ao piano a experiência das masterclass de violinos que há já dez anos constitui um ponto alto da aprendizagem deste instrumento. Nesta masterclass os alunos de piano contactam com um professor externo à escola que lhes traz um novo olhar sobre as músicas e um outro ponto de vista sobre a abordagem do instrumento, experiência que acreditamos ser fundamental a qualquer aprendizagem.

Ao longo de dez dias os alunos têm aulas individuais e em grupo. Destas aulas e do trabalho realizado ao longo do ano resulta um concerto que, esperamos, esteja à altura das expetativas criadas.

Queremos, desde já, agradecer a todos os envolvidos no processo: aos pais que apoiam a aprendizagem, aos professores que os acompanham, aos patrocinadores que ajudam a tornar possível este evento, a todos os que nele já colaboraram direta ou indiretamente e, finalmente, àqueles a quem estas aulas se destinam: os alunos que, no concerto final, darão o seu melhor. Bem hajam!

E desfrutem do momento!

Os professores

otto 1Otto Michael Pereira

Nasceu em 1983 em Sófia (Bulgária).

Começou os estudos musicais com o seu irmão Emilian Petrov, terminando, em2001, o curso de violino no Conservatório Regional do Algarve, na classe do professor Rui Gonçalves. Ainda em 2001 ingressou na Academia Nacional Superior de Orquestra, na classe do professor Liviu Scripcaru, terminando a licenciatura em 2006, com a classificação de 20 valores.

Otto tem-se apresentado em vários festivais de música nacionais e internacionais, integrado em diversas orquestras ou agrupamentos de câmara. Em 2005 venceu o Prémio Jovens Músicos, sendo-lhe atribuído o Prémio Maestro Silva Pereira após a sua apresentação, a solo, com a Orquestra Gulbenkian. Em 2011 arrecadou o Primeiro Prémio e o Prémio do Público no 13.º Concurso de Interpretação do Estoril (Portugal). Apresenta-se, regularmente, em recitais de música de câmara e a solo com orquestras, tais como Orquestra Académica Metropolitana, Orquestra de Câmara de Sintra, Orquestra A2M, Nova Orquestra de Lisboa, Concerto Moderno, Orquestra do Algarve, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Sinfónica Nacional da Ucrânia e Orquestra Sinfónica de Voronezh.

De 2006 a 2008 integrou a "European Union Youth Orchestra". Com o pianista João Crisóstomo efectuou recitais na Casa da Música, na Fundação Calouste Gulbenkian e no Cistermúsica 2012, bem como realizou uma digressão pela Catalunha (Espanha). É membro do "Tetraktis Ensemble" e fundador do quarteto Tempus e do Trio Pessoa. Foi bolseiro da AMEC e da Fundação Calouste Gulbenkian.

Otto Michael Pereira integra, desde a temporada 2007/2008, a Orquestra Gulbenkian.

 

javierReyesFrancisco Javier Reyes Peña

O violinista espanhol Francisco Javier Reyes Peña estudou no Conservatório Superior de Música de Zaragoza (Espanha). Foi-lhe concedida uma bolsa de estudo, atribuída pela Fundação da Caixa de Sabadell, para prosseguir estudos em França, no Conservatoire "Frédèric Chopin" e, também, na École Normale de Musique de Paris (França). Foi aluno de Josep Lluís Puig, Solange Dessane, Manolo Solans, Nina Partacek e recebeu masterclasses de Jose Luís Garcia Asensio, Marçal Cervera e Jean Decroos, entre outros.

Como intérprete integrou diferentes formações "camâristicas" em Espanha, França e Portugal, nomeadamente a Orquestra de Camara Eduard Toldrà, a Orchestre International du CROUS e a Orchestre de Chambre Leon Barzin. É, actualmente, professor de violino e director das orquestas de câmara das Escolas Municipais de Música de Tàrrega e Balaguer (Espanha).

Em maio de 2003 venceu a sétima edição do Concurso de Música de Câmara "Concerts de Primavera", do "Collegi Major Universitari Montserrat-Penyafort" (CMU), com o guitarrista portoriquenho Alberto Rodríguez-Ortiz.

Foi "tutti", concertino e solista na Orquestra de Cambra Eduard Toldrà. A 23 de fevereiro de 1996, a Radio Nacional de Espanha gravou o concerto dirigido pelo maestro Jose Luís García Asensio, no qual Francisco Javier Reyes Peña foi concertino.

 

sergiSergi Esparza

Nascido em Sabadell, Barcelona, Sergi Esparza estudou piano na sua cidade natal, sob a direção de Jordi Camell, obtendo o diploma com a classificação mais elevada. Tendo obtido o Prêmio de Honra na especialidade de piano.

Aos 19 anos mudou-se para Paris para continuar a sua carreira como pianista de mestrado internacional, com o professor Indjic Eugene. Depois de um ano em Paris, onde obteve o "Diplôme Supérieur Degre", decide a Espanha para concluir os estudos superiores, no Conservatório Superior Municipal de Barcelona, onde obteve as classificações mais elevadas. Mais tarde, entrou para o Conservatório Superior de Liceo de Barcelona, para um curso de interpretação com Miquel Farré. Posteriormente, regressa a Paris para continuar seus estudos, desta vez na École Normale de Musique Alfred Cortot, sob a supervisão de Jacques Lagarde.

Uma vez completa a sua formação em música clássica, decide entrar no mundo do jazz e da música moderna estudando no Taller de Musics em Barcelona, com Roger Mas. Atualmente, é professor de teoria musical e piano na Escola Municipal de Música de Francolí Espluga.

Já se apresentou na Espanha, França, Portugal e Colômbia para participar de dois projetos de música clássica, tal como música tradicional catalã, teatro musical, espectáculos para crianças e formações de jazz.

 

luis santanaLuís Vicente Santana

Luís Vicente Santana iniciou os seus estudos musicais em Espanha, com nove anos, primeiro no Conservatório de Badajoz e, mais tarde, estudou violino no Conservatório Municipal de Sabadell, em Barcelona, com o Professor Josep Lluis Puig. Prosseguiu estudos com a professora Solange Dessane, em Paris (França), concluindo a formação superior na Universidade de Évora (Portugal), com o professor Chao Bin, da Orquestra Gulbenkian. Foi membro da orquestra de câmara Eduard Toldrá e convidado a participar em vários concertos com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, entre outras.

Em 2007 foi convidado para leccionar na EPM-CELP, onde se mantém como professor titular de violino. Organiza, anualmente, a Masterclass de violino e piano em Moçambique, que visa a divulgação e ensino daqueles por professores convidados de várias orquestras e escolas de diversos países.

Luís Vicente Santana é fundador da "LeftRigthProductions" e membro da Tchovarte, empresas que se dedicam a descobrir e produzir novos talentos musicais em Moçambique.

Patrocinadores

patrocinadores

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo